10 ago

Eu, você, dois filhos e um Gato? – Ali Dias

            Mês de agosto é lindo, apesar de não ter feriados, e parecer que dura 60 dias hahá. Além de mês do lindo dia de nascimento, é também dá visibilidade lésbica, e agora eu descubro que tem um dia do gato! S.O.S! Lá vem a Ali, com essas datas comemorativas novamente. Gente, perdoem a “gateira” e não desistam de mim?! Essas coisas que a vista de alguns olhos, são banais, servem para ilustrar coisas sérias. Nada melhor que o cotidiano para fazer-nos indagar sobre nossos questionamentos.  Leia mais

20 jul

Você gosta de Cenoura? – Ali Dias

Hoje é o dia mundial do rock bebê! O que leva a pensar, que não sou muito fã de rock hehe, porém, gosto é gosto não é mesmo? Cada um gosta daquilo que apetece, que lhe mais chama atenção, ou ainda que represente algo para si. Tem gente que gosta de funk, tem gente que gosta de soul, brega, tecno, pop, e por ai vai. Eu particularmente não sou muito dada a ouvir rocks. “Meus gostos são peculiares, vocês não entenderiam” (eu tinha que fazer essa referência, desculpem a leitora compulsiva e não desistam de mim heuheuhe).

Leia mais

06 jul

Adoção para quem? – Ali Dias

Ser homossexual é bastante complicado, é o que nos dizem, seria mais fácil se seguíssemos o padrão comum da sociedade, mas o que é ser comum, em uma sociedade tão incomum? Passaria horas aqui dissertando sobre todas as normas sociais que se desviam do que é ser correto. Não é meu objetivo. Recentemente vi uma reportagem de um casal homoafetivo que adotou uma criança com problemas motores e de socialização. Isso permaneceu em mim durante um tempo, o que me levou a dialogar por aqui com vocês.

Leia mais

29 jun

“Hematomas” – Ali Dias

            Irei dançar aqui onde resido, pela Cia de Dança que faço aulas, sim, Ali, é bailarina (a gente tenta rsrs), uma coreografia estilo contemporâneo, o resultado de toda essa estripulia artística, são os hematomas que estão pelo meu corpo. Para quem acha que dançar não sofre, eis a verdade, dói, sangra, é exaustivo, mas no final a arte faz tudo valer a pena. Bem, o que vem depois quando as “manchas” são vistas por outros que não estão acostumados a ver, ou não imaginam que onde as consegui, são as perguntas.

Leia mais

08 jun

A saga de uma “sapa” na Universidade – Ali Dias

 

            Imaginem-se numa situação na qual, você é a única amiga lés, em um grupo de cinco garotas e um garoto! Como lidar? Você entrou na sala de aula e não avistou ninguém da sua “espécie”, ou ainda, você não sabe como introduzir o assunto da sua orientação. Para algumas pessoas, vai ser tranquilo, mas existem outras que não se sentiram confortáveis o suficiente para falar de si.

Leia mais

24 maio

#Sapatilha – Ali Dias

 

Ponto Cego

Quando paro e olho para trás, lembrando de como cheguei até aqui depois de tanto suor, lágrimas e dor, o clichê se repete, basicamente aquele ciclo: descoberta, enfrentamento da realidade, aceitação, respeito. E você deve estar se perguntando no momento: Mas, se mesmo depois de tudo isso ela conseguiu se interpor a todos esses problemas e chegou lá, por que está aqui, falando de Ponto Cego? E por que isto haveria de ter algum significado para mim?

Leia mais

error: