20 jul

Você gosta de Cenoura? – Ali Dias

Hoje é o dia mundial do rock bebê! O que leva a pensar, que não sou muito fã de rock hehe, porém, gosto é gosto não é mesmo? Cada um gosta daquilo que apetece, que lhe mais chama atenção, ou ainda que represente algo para si. Tem gente que gosta de funk, tem gente que gosta de soul, brega, tecno, pop, e por ai vai. Eu particularmente não sou muito dada a ouvir rocks. “Meus gostos são peculiares, vocês não entenderiam” (eu tinha que fazer essa referência, desculpem a leitora compulsiva e não desistam de mim heuheuhe).

Gostar de um tipo musical, é o mesmo que gostar de alguém sabe, ou o mesmo que gostar de comer queijo sem goiabada, ou morar em Minas, como é o meu caso e não gostar de pão de queijo, não, não gosto nenhum pouco, a única diferença é que quando você se apaixona você não escolhe, isso só acontece. Meio contraditório esse negócio, mas vamos tentar entender.

Li um livro intitulado “O coelho Diferente”, ele, o coelho não gostava de comer cenoura, todos e seu mundo comiam cenoura, e ele era excluído de seu grupo social e familiar por não gostar de cenouras. Ele havia experimentado e não tinha se agradado deste pequeno legume. Agora vamos trazer para nossa vida.

Nós somos os coelhos, a cenoura é a heterossexualidade, e o mundo do coelho é o nosso, a sociedade, a família, o trabalho, os estudos. Nós somos o coelho, que é obrigado a gostar de cenoura, por esse ser o costume, o “normal”, mas ninguém é obrigado a gosta daquilo que não quer. Se você não gosta de “cenoura”, não precisa “comer”, você passara por um processo de aceitação, incorporação de seu novo gosto na sociedade e depois será aceito ou não. O coelho no final da história foi aceito como ele é por sua família e amado ainda mais por ser diferente.

Isto é o que queremos para nossa vida, que sejamos amados por sermos nós mesmos, o que muitas vezes não acontece, mas isto será tema de uma próxima história. Se você sente que não gosta de algo, não precisa necessariamente provar para ter certeza, eu não gosto de frutos do mar, nem por isso já provei, e não provarei, sim, “desta água não bebereis”.

Se você não gosta de rock, se não gosta de cenoura, se não gosta disso ou daquilo, você tem o direito de não se sentir bem, confortável e assumir uma nova postura, que te faça feliz, se sentir bem consigo mesmo e perante os outros. Ninguém pode dizer que você está errado por não gostar de cenoura, mesmo sendo um coelho. Por um mundo onde ser coelhos diferentes, seja possível. Até a próxima.

Nota: Esse post era para o dia do rock , mas por motivos da editora estar viajando ficou para hoje. Mas, o rock deve ser comemorado todo dia,né? rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: